Depoimentos

 Este é o André, paciente do Grupo de Apoio. ANDRE LUIZ

Meu nome é André, tenho 30 anos, sou abstinente a álcool, cocaína e crack a 2 anos. Estive internado em uma comunidade terapêutica na cidade da Lapa por seis meses onde encontrei Jesus e ganhei uma nova oportunidade de vida.

Foi um período muito especial porque tive todo esse tempo para mim. Lá eu  não tinha contato com as drogas, dinheiro, pessoas que usavam drogas comigo, não me preocupava com contas a pagar, fila de banco, medo de assalto, problemas de família, enfim, estava protegido do mundo. Nesse período encontrei vários desafios  como não desistir do tratamento, aceitar quem realmente eu sou, superar traumas, vergonhas, desentendimento com outros internos entre outros. Porém, ao receber alta, percebi que o meu maior desafio estava por vir, pois estaria exposto ao mundo, é neste ponto que o INSTITUTO FAMÍLIA DO BRASIL entrou em minha vida e fez toda a diferença.

Comecei o processo de reinserção social, a ter contato com o mundo, pessoas, televisão  percebi que eu teria que me adaptar ao mundo com a minha nova condição de vida, pois as pessoas não deixariam de fumar, de beber, ou de usar drogas por minha causa e eu teria que criar reflexos para superar minha vontade de  fazer uso da droga, enfrentar os problemas do cotidiano sem fugir o que teoricamente parece fácil, mas para um dependente químico acaba se tornando algo muito difícil devido a baixa tolerância a frustração.

Participar do grupo de apoio tem sido de vital importância para mim porque lá aprendo a ser o que realmente sou e não o que quero ser. É um tempo especial onde posso chorar, desabafar, expor meus sentimentos por mais fútil que seja posso falar sem ter o medo de ser censurado ou condenado, sou respeitado, me sinto valorizado e mantenho minha autoestima estabilizada. Vale ressaltar o aconselhamento, a equipe tem todo o cuidado ao fazer isso, pensando em todas as consequências e respeitando os meus limites, nunca impondo situações pra mim, deixando que eu tome minhas decisões, mas abrindo o meu “leque” de opções. Outra coisa importante no grupo de apoio é que eles não atuam apenas na dependência química, mas sim em todas as áreas da nossa vida dando todo o suporte necessário para a reestrutura psíquica, emocional e espiritual. É onde encontro o toque especial de Deus em minha vida. Existem 3 características do grupo de apoio do IFB que eu acho que difere de outros grupos de autoajuda são eles:

* DEUS : Tendo como base a bíblia o grupo de apoio ressalta valores que a muito foram distorcidos pela sociedade, mídia. Além de mostrar o amor de Deus, suas promessas e palavras de esperança que nos dão tanta força pra não desistir de lutar e vencer.

* EXPERIÊNCIA: Deus não só capacitou como também provou cada membro do IFB. Além da formação acadêmica dos profissionais que é de extrema importância, cada membro do IFB passou por alguma provação e foi aprovado, sabe o que é sentir dor independente da forma, mas também sabe o que é superar a dor e transmitir isso a todos os pacientes. Não posso esquecer também que são 10 anos de experiência o que me passa muita segurança e confiança, pois se existe a 10 anos com certeza é um trabalho sério e compromissado com Deus.

* RESPEITO: Sou respeitado pelo que sou, onde posso falar sem ter vergonha ou medo de alguém me condenar ou fazer piada dos meus sentimentos. Meus limites não são ultrapassados e isso me incentiva a ser cada dia mais verdadeiro comigo mesmo.

Eu resumo o INSTITUTO FAMÍLIA DO BRASIL em 3 palavras:

* AMOR: Amar e servir a Deus, amar a si mesmo e amar o próximo.

* DEDICAÇÃO: Abrir mão de um tempo com a família ou até mesmo de um tempo de descanso para ajudar outras pessoas gratuitamente

* GRATIDÃO: Todos os membros do IFB precisaram de ajuda algum dia, e ao ver como foi bom  receberem ajuda, como gratidão a Deus ajudam outras pessoas evangelizando, confortando, e transmitindo a esperança e a paz que só Deus pode dar.

ANDRÉ LUIZ DA ROSA

 

PATRICIA CAMPOSEsta é a Patrícia Campos,  das Oficinas de Artesanato.

Só tenho a agradecer…

Quando vim pela primeira vez no grupo, fiquei meio ‘ressabiada’ em como seria recebida. Para minha surpresa, fui muito bem recebida; me sinto útil aqui no grupo, me sinto bem amada por todas as meninas que são muito amorosas. O grupo me ajuda a sentir que sirvo para servir aos necessitados. Venho de uma infância muito sofrida, onde fui maltratada e violentada por uma pessoa da minha família, com isso venho lutando nessa vida para esquecer os traumas que passei e é o crochê que me  ajuda a esquecer esses traumas e esse grupo para mim é muito importante, pois aqui sou útil para ajudar.

PATRÍCIA DE JESUS CAMPOS – Curitiba, 22 de outubro de 2014.

 

Esta é a dona Rosilene, voluntária das Oficinas de Artesanato.

DE: ROSILENE MARTINS DOS SANTOS DE MORAES – PARA: INSTITUTO FAMÍLIA

O Instituto Família fez muito bem para mim. É um lugar aonde me senti amada e útil para ajudar. Fui num momento muito triste da minha vida, quando precisava de carinho e o Instituto me deu. Pena que é só um dia por semana, poderia ser todo dia.   Agradeço pelo grande amor e carinho que vocês vêm me dando. Aprendi muitas coisas com vocês. Que Deus abençoe o Instituto Família cada vez mais, que vocês cresçam e que possam ajudar pessoas cada dia mais.

Curitiba, 31 de outubro de 2014.

 

Esta é a Patrícia, filha da dona Rosilene e voluntária das Oficinas.

Gosto muito do Instituto Família do Brasil, me divirto bastante e é muito bom passar esse tempo com vocês. Consegui aprender muitas coisas boas e adoro poder ajudar. Esse momento que passamos juntos é muito importante para mim.

Que Deus abençoe muito vocês!

PATRÍCIA.

 

SOLANGE SOLEsta é a Solange, Oficinas de Artesanato.

Amo trabalhar como voluntária no Instituto Família do Brasil. É muito gratificante servir e fazer  bem, conhecer pessoas e aprender vários trabalhos. Nos divertimos muito com as amigas, trocamos ‘figurinhas’ e pensamos que estamos nos doando e acabamos recebendo, isso é muito legal. Obrigado Senhor Jesus, que continue abençoando cada voluntária.

SOLANGE CARRARA DA CRUZ –  Curitiba, 31 de outubro de 2014.

 

Esta é a dona Vilma, Oficinas de Artesanato.

Por momentos difíceis que passei em minha vida, fui convidada a participar do Instituto, que me ajudou muito!! Além da comunhão com as colegas da igreja,  também aprendi outras habilidades artesanais. Sou muito grata!!

VILMA GILLUNG

 

Esta é a dona Marilene, voluntária das Oficinas de Artesanato.

Já faz algum tempo que tive vontade de fazer algo que não fosse remunerado. Alguma atividade que seria uma ‘missão’. Quando então, tive a idéia de participar nos trabalhos manuais no Instituto Família do Brasil. Estou gostando muito e sinto-me bem fazendo esse trabalho e estando em comunhão com as pessoas com quem trabalho.

“É bom saber que o nosso trabalho para Deus não depende da nossa capacidade.”

MARLENE IRMGART FRIESEN.

 

Esta é a dona Maura, Oficinas de Artesanato.

O que eu posso dizer do Instituto???… é que me sinto muito bem trabalhando lá. Porque sei que estou, de alguma forma, praticando o ‘ide’ de Jesus, pois sei que o que fazemos vai ajudar alguém que precisa física e espiritualmente. E também é um ambiente que me faz muito bem. Desde 2002 que participo das oficinas de artesanato e não consigo parar. Sou muito feliz participando e servindo o meu Deus.

O pouco que faço é feito com amor.

MAURA B. DE CASTRO MARQUES.

 

Esta é a Augusta, costureira e voluntária das Oficinas.

Um dia ouvi de alguém: “Você trabalha muito e vive muito só!”

Já tinha sido convidada pela minha filha Jaqueline e minha irmã Sandra, para conhecer e participar do trabalho voluntário. E lá fui eu (lembro bem, era uma 4a.feira a tarde), cheguei com uma sacola de roupas de crianças feitas por mim para doar. Fiquei sabendo que tinham máquinas de costura e doações em tecidos e, foi com muita alegria que resolvi encarar essa tarefa e fazer parte desse grupo. E o pouco que sei, e o muito que aprendi me fez melhor do que eu era.

Todo ser humano passa por turbulências na vida. Para alguns falta o pão na mesa; para outros a alegria na alma. Uns lutam para sobreviver; outros são ricos e abastados, mas mendigam o pão da tranquilidade e da felicidade.

Fui acolhida com amor e aprendi o verdadeiro significado de se doar. Posso dizer que, caminhando com esse grupo, já há alguns anos, recebi muito mais do que dei. Compartilhamos alegrias, tristezas, fortalecemos nossos laços de amizade e amor uma pelas outras.

Obrigado Senhor, por fazer parte desse grupo. e nos dê saúde e alegria no coração para continuarmos a sonhar os mesmos sonhos.

AUGUSTA CARDOZO.

 

Esta é a Thaís, voluntária das Oficinas de Artesanato.THAIS ELIAS

Venho sempre com a expectativa de fazer companhia e abençoar a vida das mulheres que estão presentes nas oficinas. O trabalho que fazemos é para abençoar a vida das pessoas que necessitam. Tenho participado das oficinas com a intenção de doar o meu tempo e ajudar com o dom que Deus tem me dado.

THAÍS T. JESUS MELLO ELIAS.

 

SOLANGE SOSO Esta é a Solange (Sossô), Oficinas de Artesanato.

Meu nome é Solange, sou voluntária do instituto Família do Brasil há alguns anos e me sinto honrada em participar, colaborar e ajudar esta instituição, pois com o nosso trabalho, podemos ajudar algumas pessoas carentes e com dificuldades emocionais e psicológicas.

Com as doações de roupas para o bazar, a sede do Instituto pode continuar aberta, porque precisa muito dos nossos esforços e colaboração para se manter. Com essas doações, criamos, projetamos, elaboramos e confeccionamos peças lindas, básicas e úteis para a venda nas feiras, almoços e na própria sede.

Então a sociedade doa a matéria prima e nós voluntárias, doamos nosso tempo e habilidades e, com nossas contribuições, temos a retribuição em ver muitas vidas sendo salvas, resgatadas, ajudadas e tornando-se assim pessoas mais felizes.

Por isso é um prazer fazer parte desse projeto… Sem contar que temos um círculo de amizade muito especial, muito amistoso e participativo.  Nossas tardes são abençoadas, alegres, dinâmicas e muito proveitosas. É muito bom ver o retorno das pessoas necessitadas tanto na área financeira, emocional e espiritual. As pessoas se sentem acolhidas, amadas e conquistadas por toda a a equipe do IFB.

Quero com a ajuda de Deus continuar nesse projeto, pois é agradável e muito gratificante!

SOALNGE LUZIA FERNANDES RIBEIRO.